Plágio

Tive um aluno que entrregou primeira versão de monografia com trechos copiados de artigo lido. Reconheci pelo vocabulário diferenciado, comparei com texto e encontrei as passagens.

"Sinuca de bico" punir o aluno não aceitando seu trabalho? Imputar nota baixa? Conversar com o aluno.

Depois de muito "matutar" decidi chamar o aluno e fazer com ele uma revisão de como citar textos acadêmicos, como indicar corretamente a citação. Chegando ao produto de que uma citação não identificada se configura plágio, além de vergonhoso no contexto acadêmico, é crime penal.

Solicitei que relesse seu trabalho e que identificasse corretamente as citações porque são utilizadas para que possa dialogar licitamente com os autores, se apoiando neles, corroborando suas idéias ou mesmo contrapondo-os. Citar identificando as fontes, sem excesso valoriza o trabalho, copiar indevidamente é plágio.

E assim foi feito, o aluno identificou os textos copiados preservando o direito dos autores!

 Salvado Dali - Crédito da imagem: Disponível em: 

http://www.dali-gallery.com/html/dali.php

Comentários

  • Leideana há 1802 dias

    Colega,

    Achei ótimo o que você escreveu. O tema "plágio" não é de fácil tratar, mas concordo com você em relação a sua opção de construir condições para que o estudante desenvolva a competência de escrita, de pesquisa, de registro científico, de respeito ao que é do outro, o que, certamente, abarca mudança de valores tornando-o um cidadão melhor.

    Sempre rejeito o plágio, mas principalmente, sempre rejeito criminalizar o estudante na escola ou na academia, quando ainda o aluno está em formação básica ou em graduação. Penso ser esta a hora de você construir novas competências no estudante; esta é uma delas (fazer pesquisa, respeitando a propriedade intelectual do outro). Escola e polícia são entidades diferentes, com funções sociais diferentes. Opto pela insistência em educar.

    Leideana Bacurau #ecoimooc14t0

  • Sónia Teixeira da Silva há 1794 dias

    Boa noite, Del (por aqui é noite!)

    Gostei da atitude! Se não houver um começo pedagógico, não será possível fazer "bem", aprender. E, como diz a Leideana, há que saber "dosear" a atitude consoante a idade - ainda que alguns mais velhos não tenham tido, nunca, quem ensinasse o correto e precisem de uma abordagem primária à questão.

    :)ss

  • Claudia Machado há 1794 dias

    Olá Del,

    Acredito que é o melhor caminho esse que você tomou. Muitos parabéns pela atitude.

  • Diamorais há 1794 dias

    Olá Del,

    Penso que tratou a questão da melhor forma. É sempre um assunto delicado a tratar e penso que muitos alunos por vezes não têm sequer a consciência da gravidade desse tipo de atos. Penso que como educadores temos de alertar, se o aluno após o esclarecimento voltar a incidir no mesmo tipo de procedimento aí temos de agir e não considerar o trabalho apresentado.

    Diamorais #ecoimooc14t2

  • Ribães há 1794 dias

    Bom dia! Del

    Pegando nas ideias de Diamorais quando nos diz "... se o aluno após o esclarecimento voltar a incidir no mesmo tipo de procedimento aí temos de agir ..." (sic), pergunto por dúvidas: (i) este aluno voltou ou não a fazer reincidência após os esclarecimentos?; (ii) Este esclarecimento foi dado unicamente ao aluno "in private" ou foi dado com conhecimento dos demais alunos da turma?

    Tendo em atenção as suas próprias palavras e a colocação dos verbos existentes nas mesmas "... decidi chamar o aluno e fazer com ele uma revisão de como citar textos acadêmicos, como indicar corretamente a citação." (sic), fiquei com uma dúvida: A Del (i) antes de "mandar" executar o trabalho aos alunos, explicou-lhes previamente toda esta panóplia das boas citações e normativos astritos à elaboração de trabalhos académicos?

    Obrigado!