Sociedade Contemporânea e Atual Educação

A rápida evolução do ser humano levou-o à construção de uma sociedade baseada nas tecnologias, capacitando-a de uma omnipresença jamais pensada. As transformações são claras, e alteraram irremediavelmente a forma de estar, de pensar e de viver do ser humano, enquanto ser integrante de uma sociedade em rede.

Passámos a elementos integrantes de uma cibercultura, onde a partilha é a grande chave para alimentar o conhecimento coletivo. Enquanto elementos de uma sociedade em rede, atingimos o “poder” de nos tornarmos aprendentes ou transmissores de conhecimento.

Desta forma, olho para a tecnologia como uma forte aliada do professor do século XXI na medida em que ajuda no desenvolvimento de ambientes desafiadores para os alunos. O surgir da Web 2.0, trouxe-nos um leque extenso de ferramentas digitais onde podemos aprender, partilhar, cooperar e refletir de modo colaborativo. Podemos dizer até que a Internet revolucionou profundamente a forma de olharmos para o mundo e para as relações, e estas transformações repercutiram-se não só na esfera socio económica, como também na educação. Sendo as alterações da nossa sociedade tão evidentes e profundas, leva-nos a questionar se a educação acompanhou essa mesma evolução.

A educação é a base de uma sociedade, contudo, analisando a história da educação, deparamo-nos com uma desadequação entre duas esferas que deveriam estar em sintonia – Sociedade e Educação.

Ao entrar numa sala de aula em pleno século XXI, apercebemo-nos dessa desadequação e até mesmo de um desfasamento temporal no que conta às metodologias aplicadas. São inúmeros os fatores bloqueadores desta evolução que deveria ser natural nos estabelecimentos de ensino. As politicas educativas são na maioria das vezes castradoras quando se trata da implementação de metodologias baseadas na tecnologia. Por um lado é o enquadramento socio económico que vivemos atualmente que incapacita a implementação das Tecnologias de Comunicação e Informação, por outro lado temos também o receio da mudança por parte de muitos professores, sempre que se fala de aplicar tecnologias em sala de aula.

A aposta na formação dos professores é outro ponto fundamental da problemática, assim como a falta de um planeamento prévio na implementação das TIC. Temos o exemplo dos quadros interativos. Um investimento que foi feito mas que não teve os resultados desejados. Porquê?

Há que habilitar os professores com competências digitais, para acompanhar adequadamente a sociedade atual. Só assim quer os professores como os alunos desenvolverão parcerias, por meio da colaboração, da partilha, da comunicação e da interação com o meio ambiente e com a cultura circundante (Graziola Junior & Schlemmer, 2008, apud Coutinho, 2010) , que é global e globalizante, na medida em que vivemos numa sociedade em rede.

Este seria o cenário desejado mediante as características que identificamos vindas da sociedade atual, contudo estas competências continuam longe da maior parte dos estabelecimentos de ensino, onde a massificação do processo ensino/aprendizagem ainda impera, encontrando-se ainda afastada das exigências da atual sociedade.

As práticas educativas devem ser repensadas e adaptadas tendo em conta a utilização das novas tecnologias. Deste modo deveremos enquadrar a tecnologia com a apropriada metodologia e pedagogia de modo a atingir aquilo que tanto ansiamos - ambientes educativos de sucesso, onde o aluno se possa identificar enquanto nativos digitais.

Para que a verdadeira transformação se complete na sua essência, os responsáveis e os colaboradores do sistema educativo, terão de tomar consciência da sociedade em rede assim como do conhecimento coletivo que nela se gera, assumindo-a na esfera da educação como elemento integral do processo ensino/aprendizagem.

Comentários

  • GildaAquino há 1662 dias

    Olá Ana,

    Vive-se atualmente, porém, um momento de transição em que velhos e novos conceitos se confundem, cada qual lutando para mostrar seu valor. No entanto, só o tempo, a investigação e o uso cada vez mais intensivo de práticas inovadoras, apoiadas nas mais recentes possibilidades das tecnologias de informação e comunicação e fundamentadas em novas abordagens pedagógicas, constituirão um corpo de conhecimento capaz de conferir legitimidade ou mesmo superar o “bom-senso aplicado” (AZEVEDO, 2005, p. 79) e instaurar o “processo mais ou menos científico” (PETERS, 2004, 71) de se fazer educação online.

  • Ana Toscano há 1662 dias

    Olá Gilda :D

    De facto tudo indica que é esse o caminho a tomar. Contudo o caminho ainda é muito longo, pois as mudanças e os factores a ter em conta para que a mudança se efetivar são muitos. Talvez tenha dado um tom pessimista no meu post, pois indico muitas "entraves" para essa transição/mudança na educação.

    AnaToscano

     

  • GildaAquino há 1660 dias

    Oi Ana,

    Os professores precisam adquirir novas competências e habilidades para que os alunos possam aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a viver juntos e aprender a ser - aprendizagens fundamentais à Educação para o século XXI.

    Att.

  • Ana Toscano há 1659 dias

    Sem duvida Gilda ;)