1 ou 5 perguntas

Ao ler os textos deste tema 1 surgiram-me algumas questões:

Saberá um aluno do ensino secundário fazer um índice automático usando o Word?

Quem tem alunos que ao fazer uma pesquisa na internet não utiliza apenas os 3 ou 4 primeiros sites que surgem?

Quem nunca recebeu um trabalho de alunos cuja bibliografia era "www.google.com"?

Quem não tem alunos que não percebem o motivo de não poderem copiar da wikipedia que a internet surgiu por volta de 1960, se isto é verdade?

A pergunta: será esta, como defende um colega nosso que se dedica a estas coisas da tecnologia, a geração "HomoStation"?

Comentários

  • ALINE_TAVARESCOSTA há 1676 dias

    HomoStation?

    São tantas as nomenclaturas... nativos digitais, homo zappiens, geração Y, geração @.

    A questão deve ir além da simples terminologia, caracterizar esses jovens, inditificando suas habilidades e competências deve ser o foco, para só então trabalhar junto e evitar as situações descritas pelo colega.

    Um índice automático não se faz toda hora. Quando preciso, vou no Google sim, busco pelo site da Microsoft -> Office e encontro o passo a passo.

    Os alunos desenvolvem e possuem criatividade para elaborar muito mais que uma simples estrutura de tabela ou um copia e cola. Eles esperam desafios. Se a resposta for encontrada num wikipedia da vida, a atividade não deve ter sido tão desafiadora para o aluno.

    Abraço virtual!

    Aline Tavares

  • @na correi@ há 1676 dias

    Boa tarde Vasco,

    Boas questões para uma introspeção... e para concluir mais coisas sobre os professores que sobre os alunos.

    Não sei se fazer um índice automático é a questão prioritária ou reflete as questões de plágio/seleção de informação numa primeira instância (não digo que não seja extremamente relevante, temo é que seja um estádio posterior, tendo em conta as falhas que aqui regista e que me parecem anteceder esta...)

    Quantos de nós já se dedicaram a explicar aos alunos o que é o plágio (em profundidade, não como uma definição básica do que "eu não quero")?

    Quantos já "perdemos tempo" a exemplificar como selecionar ou a selecionar fontes com eles, a ensinar a validá-las?

    Quantos já exercitámos a capacidade de escolher as palavras-chave para pesquisa de um determinado tema?

    Quantos já os ensinámos a fazer uma bibliografia, ou sequer a registar os recursos que usam na investigação?

    Etc... etc...

    O professor de Matemática pensa ser competência do de TIC, o de TIC do de Português, o de Português de... até alguém sugerir que devia ser uma competência dos professores todos do ciclo anterior e pensar: como é que é possível eles terem chegado aqui assim?

    E quantos de nós temos o cuidado de referenciar as fontes? De mostrar no que fazemos, o esforço de uma investigação, de uma seleção, de uma análise claramente referenciada? 

    Se calhar temos  primeiiro que pensar - a geração HomoStation que referências tem?

    Fica a provocação... :)

    Até breve,

    ana

  • Vasco Dias há 1676 dias

    Olá Ana,

    é bem verdade, primeiro temos de olhar para o espelho...e sim, andamos sempre a culpar os professores anteriores ou os das outras disciplinas por os nossos alunos não saberem isto ou aquilo. Atirando novamente com a "barriga prá frente", se calhar não seria descabido inserir estas coisas no currículo... :)

    Até breve.

    Vasco