Plágio - deteção e ação

Repito aqui o que comentei no post de uma colega que abriu o comentário sobre...

Fiquei desapontada ao descobrir uma doutora em educação plagiando...naquele momento senti o mundo como um mero espaço onde todos tem que produzir para "ganhar o pão". A qualidade de todo o trabalho dela entrou em "desacreditamento" por minha parte, pois ao indicar o problema a mesma fui  ignorada.

Por minha situação de aluna (que dependia de nota), me senti corrompida ao não levar adiante. Por outro lado ponderei que poderia ter sido apenas um erro.

A minha atitude em relação ao fato  foi atrelada aos valores de educação que recebi, de alertar o "erro" a quem o cometeu, mas deixar o livre-arbítrio desta para consertar. Como se tratava de uma pessoa com mais de 70 entrou o componente do "respeitar os mais velhos"...Meu coração amoleceu e deixei assim, pois não sinto-me autorizada e feliz no papel de delatora.

A deteção de se deu ao realizar um trabalho, que implicava na análise do livro da referida doutora, escrito em meados de 2007. Por não conseguir compreender o sentido do que ela queria dizer em determinado parágrafo resolvi cortar e colar no google para tentar desmistificar o que parecia incompreensível.

Ocorre que rolando a tela para ver a segunda ou terceira página encontrei um excerto idêntico datado do início de 2000. Então voltei ao livro em análise e verifiquei se possuia indicações deste autor. Para minha surpresa não existia. E talvez o não entendimento  fosse reflexo desse copiar (como seu) sem discursar sobre a ideia. A sensação de algo descolado. Copiado alí no vazio para preencher o espaço e gerar produto de venda para a instituição que a "empregava".

Deixei registrado o fato no relatório de avaliação daquela ementa, a qual estava sob controle apenas dela. Ao detectar o fato percebi que o jogo do "copia e cola" pode se dar em todos os níveis, em todas as esferas e em todas as idades. E por esta (idade dela), como comentado anteriormente, senti-me inibida em alardear e que eu tive a oportunidade de perceber que nossos erros e acertos em algum momento de nossa passagem serão encontrados e confrontados.   

Até mais, Josi

Comentários

  • Ana Paula Zanetti Neves há 1566 dias

    Muito interessante, esta sua história. Eu penso que plágio sempre existiu, mas sem tecnologia era difícil encontrá-lo. Atualmente, muitas vezes com uma pesquisa simples o encontramos. É claro que tem sempre o fator esquecimento, mas uma pesquisadora experiente não cometeria esta gafe.