Copia e cola - castigo ou 2.ª oportunidade?

Este é um tema "terrivelmente" sensível e por isso demorei a escrever algo! Cada vez que peço um trabalho aos meus alunos, apesar de todas as indicações, há algum grupo que faz um "copia e cola"...mas, e agora, o que fazer? Chumbo os alunos? Faço uma avaliação do trabalho inferior às dos outros grupos? Ou tudo isto depende da "quantidade" de cópia apresentada?

Penso que cada um de nós pesquisa, escreve, lê e comenta os posts dos colegas com a ideia principal em mente de acabar com esta problemática do plágio. Mas enquanto isto não é possível, o que fazer nestas situações?

Comentários

  • @na correi@ há 1626 dias

    Bom dia Vasco,

    Boa questão... Refazer é uma possibilidade? Devolver para recomeçar?

    É,  de facto, preciso construir uma cultura interior de não plágio, mas não sejamos ingénuos, as soluções mais fáceis são sempre as primeiras escolhas de um número considerável de pessoas. E para além da falta de educação anti-plágio, falta cultura criativa, a cultura do ter gosto e orgulho por produzir novo. Trabalhar nisso é importante.

    No entretanto, neste "enquanto" e depois dele, é importante ir tentando educar, não podemos fazer desta uma geração "perdida".

    No meu caso a estratégia tem sido fazer o que quero que eles façam, isto é, ser criativa a pedir trabalhos, procurar propor tarefas em que o trabalho do aluno sobre a informação seja dinâmica e mostrar criatividade no que lhes apresento.

    Sou da área de línguas... nunca peço uma biografia, uma definição, uma análise de um texto como projetos de maior porte... depois não peço um trabalho acabado, peço um processo, procuro estipular e acompanhar etapas, procuro criar contextos mais realistas ou irrealistas, mas menos prováveis e que exijam a mudança de medias para que haja, no mínimo, necessidade de adaptar os conteúdos.

    A ver se consigo explicar... por exemplo, se quero a biografia de um autor posso pedir que façam uma banda desenhada (à mão ou usando as ferramentas digitais) em que me reportem a vida e obra do autor escolhendo personagens de obras suas... Se quero análise de uma personagem posso pedir a simulação de uma entrevista ou que lhe criem um perfil de facebook. Procuro usar modelos como o ignite, o PechKucha que obrigam a rever e simplificar informação e a apresentá-la de forma dinâmica e criativa...

    Enfim, procuro ir dando pequenos passos que me aproximem de algo parecido com o project based learning...

    Não é infalível, mas é um outro caminho possível.

    Se queremos que os alunos produzam algo novo temos que mudar nós também...

    Espero ter ajudado qualquer coisa...

    ana

    #ecoimooc15t1

  • Antonia Almeida ESanto há 1620 dias

    Muito interessante, Ana...