Conversando sobre plágio...

CONVERSANDO SOBRE PLÁGIO...

 

Após muitas leituras e vídeos, fico pensando o quanto essa questão do plágio é pouco abordada com alunos antes de ingressarem nas universidades.... Pude presenciar várias situações pedagógicas no cotidiano escolar e plágio é uma palavra praticamente inexistente no vocabulário dos alunos e professores do ensino básico. Quando o aluno passa a fazer parte de um ambiente acadêmico é que ele vai obter informações sobre plágio, entender melhor esse processo e é onde ele se assusta com a seriedade do assunto.

Esse assunto deveria ser abordado desde o início do ensino básico, de maneira simples, porém, verdadeira. Quando o professor do ensino básico solicita um trabalho ao aluno, este deverá explicar a questão da autoria, a importância da fonte e das referências bibliográficas, etc. Mostrar que não podemos utilizar a ideia do outro como se fosse sua...

Como exemplo, posso citar aulas em laboratórios de informática em que alunos são incentivados a produzir trabalhos, procurando o assunto e imagens no google, porém não são informados de que tudo o que se copia ou melhora, deve ser mencionado o autor nas referências de seu trabalho. Também, como coordenadora pedagógica, ao analisar atividades criadas pelos professores, copiam textos e dados da internet e não mencionam fonte e/ou referências. Isso também faz parte de um processo de formação, onde professores devem adquirir competências para incentivo e disseminação da ética e uso adequado das informações.

Comentários

  • Ana Rodrigues há 1588 dias

    Boa noite Eliane!

    Realmente o tema do plágio nem sempre esteve na ordem do dia e penso que se hoje está se deve mesmo à afirmação da internet como ferramenta ao serviço da educação e formação. Recordo-me de no meu tempo de escola se abordar o tema do plágio no contexto bibliográfico tradicional e como tal era fácil entender a apropriação de algo que está impresso, é real e existe aos olhos e conhecimento de todos para comprovação, como errado e facilmente condenável.

    As características da internet tornam a apropriação de ideias de terceiros muito mais fáceis e distantes desse enquadramento. Recordo-me que as primeiras vezes em que falei deste assunto nas minhas aulas teve pouco impacto e não surtiu propriamente os resultados que eu esperava. Levou tempo até que este assunto começasse a ser de mais fácil e natural entendimento. Principalmente porque socialmente não tinha eco algum..

    Hoje confesso que ainda que possam incorrer de alguma forma na tentação de se apropriarem de algo on-line a verdade é que pelo menos sabem que estão a fazer e têm noção que terá consequências! Já não se trata de desconhecimento e sim de outras questões de valores ou práticas pessoais. Hoje se perguntar numa aula de alunos de 12 anos se sabem o que é plágio dificilmente encontro quem não saiba, podem quando muito desconhecer as consequências porque isso sim é ainda uma temática pouco esclarecedora! Em Portugal pelo menos creio que falta informação de fácil acesso nesse sentido. Se não é facilmente encontrável pelos mais jovens, se não está nos primeiros resultados de pesquisa do Google até parece que não existe e como tal vão arriscando a sua sorte.. #ecoimooc15t2

  • José Maria Pires há 1588 dias

    Olá Eliane

    O plágio é um assunto deveras interessante de debater. Eu creio que, de uma forma geral, só mesmo a partir da entrada na universidade é que este tema começa a ter relevância junto dos alunos. Isto, porque, até lá, o ensino é focado basicamente nos manuais escolares e nos materiais que lhes são fornecidos pelos professores para a realização das tarefas, e em que o trabalho de pesquisa e a investigação autónoma é muito pontual. Por outro lado, também me parece haver pouca preocupação por parte do ensino básico, mas também do ensino secundário, de incutir nos alunos a importância dos trabalhos publicados e o respeito que se deve ter quanto aos seus autores.

    #ecoimooc15,#ecoimooc15t1

  • Eliane Ciolfi há 1587 dias

    Ana Rodrigues e  José Maria Pires, boas colocações! Aqui no Brasil, é na universidade que o aluno passa a se preocupar com isso...e o que é interessante é que o professor passa pela universidade em sua formação e passa a conhecer e entender assuntos relacionados ao plágio, mas,  quando vai atuar com o aluno, não tem demonstrado essa preocupação... 

  • Antonia Almeida ESanto há 1584 dias

    Concordo com a forma como a Eliane colocou a questão do plágio a nível do ensino básico, pois parece-me não haver uma grande preocupação com esse assunto. Penso que está na hora de começar a mudar... #ecoimooc15,#ecoimooc15t1

  • antoniocostampel8 há 1584 dias

    Olá Eliane,

    Muito boa intervenção sobre o plágio e na sua génese como o mesmo se desenvolve na sua forma mais adulta, digamos assim, mormente como aqui vem sendo dito mais a nível de ensino superior do que propriamente em níveis menos avançados, embora as tecnologias nos seus muitos prós têm os seus contras e esse não pode fugir a esta última porque trata-se efetivamente de um contra ! É um assunto que gera sempre enorme debate que no meu entender será impossível de denilitar por completo, mas é Possível incutir em cada um de nós que ao estarmos a virar por essa direção não só estamos a passar os limites da liberdade, porque entramos no espaço intelectual que não é nosso e ao mesmo tempo estamos a prejudicar-nos, porque não nos estamos a enriquecer inteletctualmente mas sim a empobrecer da maneira menos ética que nos foi transmitida e em simultâneo perdemos valores que nos foram deixados... Enfim... assunto polémico mas que não o devemos deixar "morrer" e continuar sempre esse caminho em torno de o "combater"...

    @braços.

    António

    #ecoimooc15, #ecoimooc15t1, #plágio

  • Josi Baioto há 1584 dias

    Infelizmente é a realidade. Lembro de que onde minhas filhas estudavam (Panama) não tinham este cuidado com o citar fontes. O pequeno cresce com a ideia de que se pode fazer a copia e pronto. Logo, cabe às insituições formadores de docentes realizar cada vez mais workshops sobre a questão.

    Abraços, Josi #ecoimooc15t1, #plagio