Aprendizagem Cooperativa

A aprendizagem cooperativa desenvolveu-se mais como prática, que foi dando provas e mostrando
resultados, do que enquanto resultado de uma teoria fundamentada e disseminada.
Nos Estados Unidos, segundo um estudo de 1998 (Antil Jenkings, Wayne e Vadasy), cerca de 93% dos
professores das escolas elementares estudadas utilizavam a aprendizagem cooperativa nas suas classes
de forma regular, ensinando-os a trabalhar em grupo e, por essa via, procurando obter melhores
resultados tanto a nível académico como em termos das suas competências sociais.
De acordo com centenas de outras investigações já levadas a cabo, os ganhos são bastante consistentes
e diversos:
1. melhoria das aprendizagens escolares;
2. melhoria das relações interpessoais;
3. melhoria da auto-estima;
4. melhoria das competências ao nível do pensamento crítico;
5. maior capacidade em aceitar as opiniões e as perspectivas dos outros;
6. maior motivação intrínseca;
7. maior número de atitudes positivas para com as diferentes matérias, os professores, os
colegas e a escola em geral;
8. menos problemas disciplinares, devido a existirem mais (e alternativas) tentativas de
resolução de problemas e conflitos;
9. aquisição das competências necessárias para trabalhar com os outros;
10. menor absentismo.
Podemos dizer que o conceito de aprendizagem cooperativa cobre um vasto número de estratégias,
servidas por um conjunto de técnicas adequadas, que podem ser utilizadas em qualquer nível de ensino.