Tarefa 1.ª fase – Texto 3

Por Joadne há 1469 dias

O texto 3 discute a questão do plágio no meio acadêmico. Nele defende-se que é através da educação que este tipo de ocorrência pode diminuir ao trabalhar o tema “ética”. Segundo o autor, em situações de plágio, mais importante que punir é ensinar, pois “[...] mais vale prevenir do que remediar”. Nesse sentido, muda-se o papel do professor que ao invés de agir como se fosse um detetive, policiando e punindo, assuma a sua real função de educador. 

Obviamente que na condição de professora já passei por inúmeras situações de plágio de alunos. Podia ser constatado que estes não tinham o menor cuidado ao utilizar o ctrlC+ctrlV: textos copiados com o nome da instituição e do professor de origem (não adequavam estes dados com a sua realidade); textos cujos parágrafos apresentavam diferentes formatações (cada parágrafo com uma fonte, um tamanho de fonte distinto e com o sombreamento característico quando se faz cópia – nada disso era alterado). Muito bizarro! Mas, em se tratando de estudantes de graduação, que nunca tiveram qualquer informação sobre como produzir um texto acadêmico, é perdoável (inicialmente). Após os fatos acontecerem, é trabalhada a questão do plágio, a postura ética e alertados sobre a possibilidade de tal ato poder ser detectado com recursos da net de verificação de plágio (uso o detector de plágio docxweb).

 texto (3) utilizado como embasamento teórico para a realização desta atividade apresenta, logo no início, uma citação de Bowman que defende que a ética, nos procedimentos de trabalho, pode ser ensinada a nossos alunos, o que também acredito. Mas e quando o professor não tem ética? 

Com relação a essa questão, o que mais me chocou foi encontrar em um livro publicado por uma grande editora do Brasil um capítulo inteiro copiado de uma publicação norte-americana (por ética não vou citar os nomes aqui). 

É inadmissível um professor, pesquisador, autor de livro não dar o devido crédito a quem é de direito. Acredito que tal atitude deva vir da convicção de que os leitores são incapazes de perceber a cópia. E nessa situação, sinto-me incluída. É subestimar minha inteligência, o que me deixa realmente indignada e ofendida.

E, a propósito, o texto 3 é muito interessante, de agradável leitura e muito didático. Gostaria muito de utilizá-lo em minhas aulas. Mas, para tanto, preciso da sua referência. Senti dificuldade em trabalhar com ele por querer usá-lo em citações e não poder por não ter sua autoria.