Artefacto digital 2 - “O uso do video no ensino das alterações climáticas”

Introdução:

O cenário de aprendizagem proposto para este 2º artefacto digital destina-se a um grupo turma do 8º ano do 3º ciclo do ensino básico. Constituem um conjunto de alunos com idades compreendidas entre os 13 e os 16 anos, com forte apetência para as novas tecnologias e, por isso, esta atividade teórico prática pretenderá motivá-los para o tema inserido no “Domínio: Sustentabilidade na Terra, Subdomínio: Ecossistema,  Unidade: Perturbação no Equilibrio dos Ecossistemas, associando a literacia científica à literacia digital.

Considerando que a escola se localiza numa área com localidades rurais, onde existem explorações agrícolas com criação de animais e às quais alguns alunos têm ligações, propõe-se que alguns destes visitem uma dessas explorações e recolham imagens e informações acerca do impacto que essas tem nos ecossistemas e de que modo poderá contribuir para as alterações climáticas. Deste modo, propõe-se uma estratégia de ensino, em sala de aula, que se baseia no uso do vídeo para retratar as alterações climáticas, em que os alunos produzirão uma notícia em vídeo. Após a produção do vídeo, os alunos visualizam em conjunto com o professor e analisam-no para saber se a informação que pretendiam transmitir é percetível e, finalmente, a publicação deste na página da escola.

 

1- Conceitos / Noções:

 

Para a realização da atividade teórico prática os alunos sob orientação do professor farão uma pesquisa prévia sobre as consequências para os ecossistemas, da criação de animais em explorações agrícolas, nomeadamente as elevadas emissões de dióxido de carbono para a atmosfera e o seu contributo para as alterações climáticas. Neste sentido, o grupo de alunos que se deslocar à exploração saberá quais as informações/imagens que deverá recolher para produzir a notícia. Outro grupo de alunos fará, sob orientação do professor, uma pesquisa sobre como produzir uma notícia em video e como selecionar a informação de forma a simplificar os factos, elaborando um guia para a produção do video, de forma a manter a correção dos factos a relatar. Posteriormente, todos se reunirão para partilharem informação recolhida, elaborarem o texto escrito, selecionarem as imagens e produzirem o video.

Conceitos: Perturbação no ecossistema; alterações climáticas; emissões de GEE; poluição; fontes de poluição.

 

2- Objetivos da aprendizagem:

 

- Promover e aumentar a literacia científica e digital dos alunos.

- Promover a interação entre alunos e entre alunos/professor.

- Compreender as alterações climáticas como resultado da perturbação dos ecossistemas;

- Compreender o conceito de alterações climáticas e a sua importância no contexto climático atual;

- Reconhecer a vulnerabilidade dos sistemas humanos e naturais às mudanças do clima;

- Entender as especificidades do jornalismo televisivo;

- Compreender como se constrói uma notícia em vídeo;

- Desenvolver atividades de ensino sobre as alterações climáticas recorrendo à peça no formato vídeo;

- Desenvolver a criatividade e a autonomia;

- Promover o trabalho em pares/grupos.

 

3 - Ferramentas tecnológicas mobilizadas:

 

- Sala de TIC com acesso à internet.

- Câmara fotográfica e de vídeo (telemóvel).

- Sites para pesquisa de informação.

- Windows Movie Maker.

- Youtube.

4 – Argumentos Justificativos da Aprendizagem Colaborativa na Atividade

 

O incentivo à produção de um conteúdo mediático sobre este tema deve-se ao facto de que o impacto causado pela visualização de imagens faz com que os alunos percepcionem os conteúdos de uma forma mais próxima e realista. O video destaca-se dos restantes formatos pelo poder comunicativo da imagem em movimento e porque a visualização da imagem leva a uma maior tomada de consciência da realidade. Neste cenário, torna-se importante, por um lado, educar para o uso da televisão, formando uma audiência consciente, ativa e crítica em relação aos conteúdos televisivos (falamos de literacia mediática). Por outro lado, surge a consciência de que é vantajoso educar através da televisão, usando na sala de aula os conteúdos televisivos emitidos pelos média ou incentivando os alunos à criação dos seus próprios conteúdos para divulgação em contexto escolar (Moran,1995). Torna-se, assim, necessário que os professores sejam capazes de criar estratégias para “integrar, de modo coerente e sistemático a inteligência da televisão com a da educação, em prol de uma facilitação na compreensão dos conteúdos e de uma adequação à realidade quotidiana dos alunos” (Freixo, 2002, p. 225).

Estes vídeos sobre questões prementes e atuais (como é o caso das alterações climáticas), abordadas de diferentes perspetivas, têm tido sucesso entre professores e alunos. Podem servir de mote para discussão dos assuntos abordados na sala de aula ou como ponto de partida para a criação de TED Talks pelos próprios alunos, com as suas perspetivas sobre os temas propostos (Edudemic,2015).

Esta atividade proposta proporciona uma aprendizagem colaborativa pois envolve os alunos como membros do grupo, implicando a negociação e a partilha de significados, e incluindo também a construção e a manutenção das conceções partilhadas das tarefas, que são realizadas interactivamente através dos grupos ((Stahl, Koschmann & Suthers, 2006) in (Dias & Oliveira,2011)). Caracteriza-se pela facilidade com que os alunos e professor podem partilhar, trocar e acessar material; é de fácil uso pelos alunos o que de acordo com Larussen e Alterman (2009) in (Dias e Oliveira, 2011) constitui uma aprendizagem colaborativa. O papel do professor, neste contexto de aprendizagem, aproxima-se daquele que é proposto por Altet (2000) in (Dias & Oliveira, 2011) , o professor já não comunica “um saber-conteúdo feito” mas “guia, acompanha o aluno nas suas investigações, experiências, atividades e iniciativas. Cabe ao professor adaptar as suas intervenções às necessidades e realidades dos discentes reforçando deste modo as suas aprendizagens.

 

Referências Bibliográficas:

- Dias, P. e Oliveira,I. (2011).  Práticas de avaliação formativa em ambiente wiki.

- Edudemic (2015). 5 Ways to Incorporate TED Talks into Learning. Acedido a 22 de maio, 2015, de: http://www.edudemic.com/ted-talks-lesson-plans/

- Freixo, M. J. V. (2002). A Televisão e a Instituição Escolar: Os Efeitos Cognitivos das Mensagens Televisivas e a sua Impotência na Aprendizagem. Lisboa: Instituto Piaget.

- Moran, J. M. (1995). O vídeo na sala de aula. Revista Comunicação & Educação, 2, pp. 27-35. Acedido de : http://www.revistas.usp.br/comueduc/article/view/36131.

 

#ecoimooc3t3, #artefacto2

Comentários