u-Learning (ubiquitous learning)

Considerando o aproveitamento da tecnologia para transmitir algo à distancia, no seu livro “Mobile Learning: Educação e tecnologia na palma da mão”, (Souza, 2012), traça uma evolução das plataformas de ensino à distancia destacando em como tablets e smartphones, têm vido a ganhar quotas de penetração no domínio do mobile learning, suplantando mesmo os atuais computadores portáteis, não só pela apetência dos mais jovens para com estes dispositivos, mas também a crescente mobilidade que estes proporcionam, aliada à transportabilidade dos mesmos, na figura abaixo, toda a evolução desta nova forma de distribuição e acesso ao conhecimento, quer em matérias curriculares, quer para outras necessidades de aprendizagem.

Imagem 1 - https://www.dropbox.com/s/v64g1azpk0uu1xm/2016-04-14_09-43-19.png?dl=0

 

No último ponto, o u-learning, é referenciado como forma de aprendizagem segundo Souza, em que aproveitando as tecnologias móveis segundo a sua capacidade permitirá o acesso aos conteúdos de forma síncrona e/ou assíncrona.

Em condições onde o acesso à Internet não constitui problema, uma outra forma de distribuição e acesso aos recursos anteriormente referidos poderá passar por sítios de armazenamento como, Dropbox, GoogleDrive, OneDrive, iCloud e outras plataformas de armazenamento existentes, numa arquitetura de informação residente em servidores Cloud.

Imagem 2 - https://www.dropbox.com/s/chfe6nyoef3nfan/2016-04-14_10-01-00.png?dl=0

 

A construção de conteúdos depende da tecnologia disponível e no seu projeto de construção deverá estar implicita a crateristica de ser intuitivo, já que se pretende combater a iliteracia digital e tal só será possível mediante a disponibilidade de indicações claras de usabilidade do objeto, onde nunca por razão alguma o utilizador deverá ficar numa situação de bloqueio.

O u-Learning (mobile learning) constitui-se como uma forma de ensino para o futuro, e ao mesmo tempo dadas as características dos dispositivos de acesso (tablets/smartphones) contribuir também para combater a iliteracia digital, referem no artigo “Effecting E-Learning with U-Learning Technology in Nigerian Educational System” (Boyinbode & Akintola, 2009), na sua observação sobre a relação entre o uso do e-learning face ao u-learning e o uso do computador, apresentando o seguinte quadro: 

Imagem 3 - https://www.dropbox.com/s/9qq3oj5kta6u6ok/2016-04-14_10-04-27.png?dl=0


BIBLIOGRAFIA

Boyinbode, O. K., & Akintola, K. G. (2009). Effecting E-Learning with U-Learning Technology in Nigerian Educational System. The Pacific Journal of Science and Technology, 10(1), 204–210. Retrieved from http://www.akamaiuniversity.us/PJST10_1_204.pdf

Souza, B. (2012). Mobile Learning: Educação e tecnologia na palma da mão. Clube de Autores. Retrieved from http://www.amazon.com/Mobile-Learning-Educação-tecnologia-Portuguese-ebook/dp/B00D748ZBW/ref=la_B015WVOS4U_1_1?s=books&ie=UTF8&qid=1449084668&sr=1-1


Comentários

  • Maria Casanova há 1311 dias

    Qual a referência deste texto, Luís?

     Obrigada pela partilha.

  • Luis Panao há 1311 dias

    Maria,

    Este texto é da minha autoria e faz parte das páginas que já escrevi da minha tese de mestrado em Informação e sistemas empresariais da UAb, sobre o tema " Desenvolvimento da literacia digital e competências de aprendizagem com base em tecnologias móveis".

    Espero nesta formação e com a Vossa ajuda encontrar algumas respostas pois cada vez sinto o texto mais desfazado do contexto empresarial, e mais orientado para a construção de conteúdos e objetos de aprendizagem para educação numa sociedade cada vez mais digital.

    Obrigado pelo comentário.