A pesquisa na Internet e o perigo eminente do plágio

#ecoimooc4,#ecoimooc4t1

É evidente que ao fazer pesquisa na internet, para a tentativa de encontrar recursos para qualquer tipo de trabalho ciêntifico ou puramente académico e recorrer à utilização da ferramenta digital, (copiar/colar) estarei sempre a plagiar.

Mas este facto, mais do que comprovado, não impede qualquer um de ser tentado a esse acto, como que a tentação do pecado, uma vez que as coisas não autorizadas são as mais cobiçadas e a perguiça intelectual ou a tendência para o facílitismo ou como é patente no vídeo apresentado sobre o plágio, as tentações do dia a dia que se apresentam mais ociosos e mais ligadas aos prazeres da vida, do que o trabalho intelectual de interpretação e produção de ideias, com a respectiva citação ou referência bibliográfica.

Comentários

  • Ana Paula Rocha há 1189 dias

    Concordo, plenamente, com a visão de que existe uma tentação para plagiar, associada ao facilitismo de execução de um trabalho escolar ou académico.

  • Silvia_Vieira há 1189 dias

    Concordo. Para muitos alunos é mais fácil copiar do que ter algum trabalho a pesquisar e a selecionar a informação. 

  • Solange há 1187 dias

    Interagindo : Isso se deve ao fato de os alunos serem pouco competentes na escrita: “ Escrever academicamente significa ser capaz de estabelecer conexões entre ideias.”  (Henry, 2004, p.89). O autor aponta que as falhas se devem à carência de competências de expressão escrita e de leitura. Adquirir tais competências, trabalhando-as de forma a dominá-las, estabelece a diferença entre a existência do plágio e a capacidade de criar ideias para a produção de uma escrita autônoma.

    #ecoimooc4,ecoimooc4t1