• Blogs
  • Amanda L
  • Refletindo sobre as competências digitais que os professores devem possuir...

Refletindo sobre as competências digitais que os professores devem possuir...

Por Amanda L há 1284 dias Comentários (4)

Há pouco tempo comecei a trabalhar como tutora virtual em uma Universidade Corporativa, e no período que antecedeu o início do meu trabalho eu estava (e ainda estou) “cursando o curso” Formação para Tutores em EAD. Cada semana está sendo trabalhado as competências para a atuação como tutor: competências pedagógicas, comunicacionais, tecnológicas, organizacionais, e integradas.

Faz mais de uma década que resolvi deixar a sala de aula presencial para poder fazer pesquisa. Na época eu achava importante para meu currículo ter um mestrado, doutorados e pós-doutorados. A questão é que dificilmente você arrume um emprego onde viva para a pesquisa. Dependendo da sua formação você acaba voltando para a sala de aula, seja como aluno ou professor.

O professor ou o tutor devem ser, acima de tudo, educadores! O papel de um – presencial na sala de aula, e do outro, on line (síncrono ou assíncrono) nos ambientes virtuais de aprendizagem (AVA) se assemelham na medida em que participam do processo de ensino-aprendizagem.

Nas ultimas décadas, a invasão tecnologia chegou as escolas, universidade e já é bastante comum a oferta de cursos de graduação, pós-graduação, MBA, extensão, etc. a distancia. Esta invasão carece de profissionais com competências digitais, que acompanhem o ritmo das informações. Neste sentido, vários dos cursistas neste MOOC contribuíram falando sobre este tema!

Minha contruibuição será breve, pois estou ainda estudando este capítulo no meu curso de formação de tutores. Entendi, por tudo que li, que basicamente, professores (e mais ainda tutores virtuais) precisam conhecer as ferramentas tecnológicas que se encontram a disposição atualmente. O domínio prévio das ferramentas digitais possibilita a criação de atividades valendo-se da tecnologia para o processo de ensinar-aprender.

Num mundo competitivo, ter ou não este domínio das tecnologias e mídias, diferencia um profissional de outro. Contudo, entre aqueles já inseridos neste contexto digital, cabe a reflexão crítica do uso de tais ferramentas – para que vou usar? O que quero alcançar? Meus alunos vão aprender com maior facilidade tal conteúdo? Qual reflexão podemos tirar disto?

É inegável que nossos alunos – da escola fundamental às universidades, vivenciam fora do contexto escolar um ambiente tecnológico, usam a internet, usam as redes sociais, sabem se comunicar por mensagens síncronas, e-mails, muitos vivem seus avatares, participam de comunidades e mundos virtuais próprios. Para alcançar este público é preciso falar a sua linguagem, é preciso entender como eles se relacionam com estas tecnologias, como aprendem com elas.

Mergulhar neste ambiente é o nosso desafio!         

Comentários

  • Frankiele Oesterreich há 1284 dias

    Olá Amanda, realmente estamos num mundo muito competitivo, corrido, e que para muitos, o estudo na EAD é a melhor solução.

    Trabalho bastante tempo com a modalidade e acredito muito na qualidade, mas é primordial que os agentes deste processo se envolvam e participem, incentivem, instiguem sempre os alunos, pois a evasão ainda é alta.

    É importante que o aluno EAD sinta-se pertencente a um grupo.

    Bom curso para você!!

  • Amanda L há 1284 dias

    Obrigada Frankiele, estou "experimentando" tudo isto pela primeira vez, e realmente, vejo que a coisa não é tão simples. Assim como o professor precisa motivar seus alunos na sala de aula e o tutor precisar - ainda mais - motivar seus alunos EAD! A evasão ainda é alta - ainda mais se o curso for gratuito. O feedback do professor e do tutor precisa acontecer quase que diariamente para lembrar o aluno da importancia do curso que ele esta fazendo! :) Abraços! Obrigada por passar por aqui e compartilhar idéias! 

  • Adriana há 1284 dias

    Oi Amanda.

    Infelizmente ainda existem pessoas com preconceitos sobre EaD, pensam que é fácil, por não terem que assistir as aulas pessoalmente, que poem fazer as atividades como e quando quiserem e pior, acham que serão aprovados menos sem participarem e que não é confiável.

    Existe ainda muita evasão, mas vamos trabalhar para que isto deixe de acontecer e que as pessoas precisam entender que este é o novo futuro, nova realidade.

    Atualmente trabalho como DI na Plataforma Moodle e já fui tutora à distância, sei como é complicadomanter a atenção do aluno, mas precisamos estar sempre interagindo e motivando-os a participarem.

    E vamos vencer este desafio!! Abraços

  • LFCrespo há 1282 dias

    Amanda, tudo bem?

    Enquanto lia sua postagem, veio-me à mente uma ideia que, na verdade, deve ser comum, mas vou expressar.

    Em um sistema de ensino sem a tecnologia, o professor deve conhecer bem o assunto do qual vai tratar; mesmo que seja formado na área, caso seja um recém formado, não terá a habilidade de passar os conteúdos por não conhecer as possibilidades que o próprio conteúdo oferece de ser ensinado. a experiência faz isso: o professor sabe os diversos modos pelos quais o conteúdo será melhor assimilado pelo aluno.

    Ja na educação com amparo da tecnologia, além do que citei acima, é de suma importância conhecer bem as ferramentas. É, então, conhecimento técnico do conteúdo + conhecimento técnico das ferramentas; aliado a tudo isso, deve vir a habilidade do professor para saber aliar os dois conhecimentos. A experiência é, aqui, também de suma importância. Por isso, o professor precisa se dedicar e usar sempre mais a tecnologia para que sua atividade de ensino seja sempre melhorada.

     Abraço


    #ecoimooc4t1