A internet ajuda quando não atrapalha

Por lisipin há 1337 dias Comentários (3)

O uso e a evolução da internet tem importante  papel inquestionável na vida de todos. Creio ser possível colocar o todo como parâmetro. Entretanto, vivenciando o dia a dia de estudantes, professores, em escolas e universidades, questiono-me se realmentes as pessoas estão preparadas para seu uso. Há sem dúvida uma profusão de sites, de imagens, de atrativos que, quase sempre, fazem com que nossos alunos se percam em suas pesquisas. Nós, professores, estamso conseguindo orientá-los?

É preciso que se invista muito e sempre na formação de professores, para que estes possam aprender a utilizar essa importante ferramenta e possam mediar o uso de seus alunos. O google é um concorrente desleal, mas é preciso aprender a usá-lo como aliado. 

Comentários

  • Andrea_Osorio há 1337 dias

    Concordo

    Existem docentes ainda pouco à vontade com as tecnologias. As escolas deveriam investir mais na formação de professores. Até mesmo que cada escola deveria organizar oficinas de partilha de conhecimentos entre docentes, ou seja, um docente que conheça uma ferramenta deveria partilhá-la com os restantes. A partilha de conhecimentos e de ferramentas entre docentes deveria ser uma constante nas escolas.

  • Arminda Pereira há 1336 dias

    Cabe a cada professor investir em si e na sua formação, cabe a cada grupo disciplinar em cada escola fazer ciclos de formação para partilha de conhecimentos, cabe ao diretor de cada escola motivar e incentivar os seus professores.

     

  • Eleonora Moita há 1334 dias

    É indiscutível que as TIC passaram a ser um instrumento de inestimável valor como coadjuvante do professor, na medida em que disponibilizam importantes recursos, desde software educativo, passando por hardware adaptado – principalmente para os alunos com necessidades educativas especiais. Porém, uma das questões centrais do uso das TIC prende-se com o factor da motivação e da adaptabilidade dos meios tecnológicos a situações práticas de ensino na sala de aula, pois quase todas as competências poderão ser desenvolvidas com a utilização eficaz do computador e dos meios audiovisuais.

    No entanto, também é verdade que as novas tecnologias, por si só, não são uma garantia de um processo de aprendizagem bem sucedido e de um bom desenvolvimento cognitivo e afectivo das crianças e jovens, na medida em que para que tal aconteça é necessário que exista um ambiente salutar entre professores e alunos, entre pares e o contributo imprescindível da família. O trabalho realizado com o computador deverá estar sempre integrado com outros procedimentos e estratégias implementados, não se devendo cair na imprudência de afirmar que as aplicações informáticas são dispensáveis, nem no errado juízo de que o computador é a solução para todos os problemas.

    Para acompanhar o ritmo de supremacia das técnicas, é absolutamente necessário todo um processo de capacitação e aprimoramento dos educadores, que, na sua posição modificada de um participante de um processo de ensino-aprendizagem, deixam de ser meros instrutores ou administradores do conhecimento.

    Uma infra-estrutura satisfatória e a existência de materiais educativos TIC de boa qualidade, não constituem, por si só, uma garantia do uso efectivo das TIC nas escolas. Daqui a necessidade de assegurar formas adequadas de formação de professores e formadores no domínio das TIC nas NEE.

    Existem vários problemas associados à falta de conhecimento e de competência dos professores na área das TIC. Muitas vezes existe falta de auto-confiança por parte dos professores, relativamente à utilização das TIC nas salas de aula.

    A utilização das TIC deve ser considerada na formação inicial dos professores e também na formação contínua. Em todos os cenários de formação, esta deveria auxiliar os professores a melhor integrarem as TIC na sua prática diária em geral e nos planos individuais dos alunos. A formação em TIC deve tornar-se mais flexível e tomar em consideração as necessidades individuais de cada professor. Além disso, qualquer formação em TIC precisa de abordar metodologias, didáctica e organização da aprendizagem, estabelecendo relações evidentes entre teoria e prática.