O futuro é móvel

Caros colegas e professores

Em muito pouco tempo vai deixar de ser o computador na sala de aula para passar a ser somente o smartphone na sala de aula. A estratégia de quase todas as organizações está a voltar-se para as aplicações smartphone. Os computadores e os tablets tem os dias contados.

Cumprimentos,

 

Comentários

  • Jose_Graa há 1214 dias

    Boa tarde colega, obrigado pela tua partilha e se isso for verdade, que acredito perfeitamente que sim, mais mão à obra, pois admito que nunca tive nenhum e nem mesmo operei em nenhum, mas este alerta faz com que me ponha atento e trate de obter um desses aparelhos o mais rápido possível.#ecoimooc4t1, #ecoimooc4t0

  • Celeste_Gregorio_Lopes há 1214 dias

    Boa noite, colega

    Permita-me a dúvida quanto ao pouco tempo e à unicidade. Predominância, tendências - sem dúvida. Adaptabilidade e complementaridade, sempre! Lembra-se das profecias do fim da rádio, do cinema, e por aí fora?  A diversidade, a dispersão geográfica, as diferenças de acesso, a adequabilidade, as possibilidades económicas, tantos fatores, fazem da coexistência a hipótese mais verosímil.

    E no mundo da sempiterna 'crise', para gerir os elefantes brancos tecnológicos que nos instalam nas escolas, o abençoado BYOD é a nossa salvaçãoWink!

  • Pedro Ribeiro há 1213 dias

    Boas e cumprimentos

    Que espectaculo ainda não tinha visto nenhum comentário assim, obrigado. Eu sei que há coisas que nunca vão acabar. Os livros, não virtuais, uma maneira ou outra irão sempre ter o seu espaço e preferencias, uma caneta ou um lápis irão ser sempre técnologia de ponta, pelo menos não dão erros para além dos previsiveis. Mas a nível da tecnologia informática não há maneira de contornar, é um passo sempre em frente e o que hoje é de ponta às 23:50 enquanto escrevo às 23:51 já está ultrapassado, e quando publicar já é história, é a maquina que criamos que tem sempre de apresentar novas solucções para se sustentar e crescer. O que quero dizer é que todos os estudos apontam para essa realidade e basta olhar à nossa volta. Vai passar a ser tudo feito com os telemóveis portateis, o dinheiro vai acabar, os cartões vão acabar, os computadores pessoais e portáteis deixam de fazer sentido porque a capacidade de processamento é cada vez maior e cada vez num espaço mais pequeno. Tudo se fará com os dispositivos móveis e os grandes investimentos estão a ser feitos precisamente nessas àreas. Vejam o aparecimento das startup's como lhe chamam agora e que está tanto na moda. Passa quase tudo por aplicações móveis que irão funcionar em dispositivos móveis que nos acompanham para todo o lado e que usam uma matriz que tudo cobre chamada internet. O ensino também vai ter de se adaptar e de estabeleçer regras para o uso destes BYOD e o mais depressa possivel.

    Podem ter a certeza que daqui a um ano ou dois com o nível de controlo, hoje usado pelas grandes corporações técnologicas como a Google que sabe tudo da vida de um utilizador de um telefone android, até penso que já deve saber as vezes vamos ao WC para sugerir a venda de papel higiénico na altura certa. Usando essa tecnologia, um professor vai saber onde andam todos os seus alunos a toda a hora e saber o que andam a estudar ou não, se andam na balda ou não e ao mesmo tempo vai poder indicar a qualquer hora trabalhos de estudo, fazer questões e obter as respectivas respostas na hora, mostrar caminhos, tudo isto de maneira quase personalizada. Em suma o big brother que tanto ouvimos falar à alguns anos atrás e uma maneira quase silenciosa vai-se apropriando das nossas vidas. Tudo isto é informação e o que importa é estimular os jovens e não só, ensinar-los a destinguir a boa informação da má informação, ensinar a distinguir uma lavagem ao cerebro de uma ideia criativa de como aproveitar de maneira racional a agua da chuva por exemplo . Em suma a estimular presisamente aquele BYOD que sempre andou com o homem, desde que é Homem chamado de cerebro. Mas os olhos fixos naquele pequeno ecran com os polegares a trabalhar infernalmente sobre o pequeno teclado ou ecran vão ver cada vez mais e mais em todo o lado. E acho que o interessante é conseguir dar a volta à coisa e aproveitar da melhor maneira. Sabiam que a google tem projectos de investigação para que nos tornemos imortais. É verdade. Basta procurarem na internet.

  • Jose_Graa há 1213 dias

    Boa tarde colega, sem dúvida estonteante, todo este universo comunicativo sobre o mundo tecnológico, provocou em mim uma recordação daquilo que senti em 1984, enquanto lia o livro "1984" de George Orwel, lembro-me bem como se fosse hoje, uma vontade irresistível de estar umas dezenas de anos no futuro, para poder conhecer as sensações que enentualmente teria e eis que me dá a nitida impressão de que algo do que se estava a retratar nesse empolgante livro, se encontra neste momento em processamento, com o "Big Brother" a passar da ficção para a realidade". #ecoimooc4t2