Opiniões sobre o trabalho colaborativo

Roldão (2007)  refere  que  “o  essencial  das  potencialidades  do  trabalho  colaborativo  joga-se  no  plano estratégico,  e  operacionaliza-se  no  plano  técnico.” 

Hargreaves  (1998) refere que " nos  processos colaborativos  e  cooperativos embora  a  colaboração  seja  um  elemento fundamental da  reestruturação educativa, não  é,  nem  sinónimo de reestruturação, nem sinónimo de êxito,  uma  vez  que  esta  pode  assumir  diversos  contornos.  Uma  dessas  formas  é  a  colaboração confortável  Trata-se de  uma colaboração  limitada  à troca de ideias  e de materiais  onde é  preservada a  individualidade  de  cada  professor."

Day  (2001),  refere que "a  colaboração  não  pode  ser  um  espaço confortável,  onde  os  professores  se  sentem  apoiados  e  compreendidos  e  onde  são  habituais atitudes  de  conformismo  e  a  condescendência.  Culturas  indulgentes  e  pacifistas  podem  fortalecer práticas  instituídas  e  não  promover  práticas  colaborativas."