The Shallows: What the Internet is Doing to Our Brains

Boa noite,

Ao ver este vídeo lembrei-me de um post colocado por um amigo, que é professor universitário, no facebook na passada semana:

"Ano 1996, comprei um modem 56Kb para poder ler o email quando estava em casa.
Ano 2016, ligação à internet 100 Mb, só vejo o email quando estou no trabalho. 
Será que estou a perder o interesse pela internet?
Pensem nisto..." (colega do facebook)

Talvez o meu colega esteja a pensar da mesma forma que o Carr e tenha deixado de utilizar a Internet constantemente.

Sim, estou de acordo, muitas vezes acabo por me distrair com o facebook... mas a informação que eu encontro na internet ajuda-me e muito no meu trabalho. 

Ajuda e muito os meus alunos: por exemplo, o que é o Boot Menu? como configurar o Boot Menu?, como criar um Boot USB? Que programas utilizar para criar um Boot USB? Como obter o Windows 7?, Como ativar o Windows 7 free? ... todas estas perguntas fazem parte da unidade que eu estou a lecionar neste momento e a Internet tem sido uma grande ferramenta no que diz respeito à obtenção de respostas a estas perguntas. A professora mostra os pontos chaves e o caminho que os alunos devem seguir na formatação de um computador. Mas são os alunos, que por existir uma internet, vão obter respostas a estas perguntas.  

Sim, a informação é muita, mas não deixa de ter os seus benefícios. É por isso importante saber focar a nossa mente nos nossos objetivos. É importante saber pesquisar, saber selecionar e não ficar perdido no meio de tanta informação. ;) tarefa nada fácil. 

 

Comentários

  • maria leonor lopes neves alves há 1044 dias

    Mónica estou competamente de acordo com o que escreve. De facto é muita "coisa" para ver, olhar e reter pouco. É impossivel reter tantos dados, noticias e informações. E baralha e cansa. Mas ajuda e muito. Ajuda os professores e os alunos. O grande desafio é "focus" naquilo que interessa e "deixar ir" o resto. O outro não meno importante desafio é construir esquemas, caminhos e competencias para , facilmente percebermos se estamos a pesquisar com qualidade. 

    #ecoimooc5#ecoimooc5t1 

  • Rui Pacheco há 1042 dias

    Temos de saber lidar com o atual problema da "infoxicação", neologismo decorrente da excessiva e por vezes contraditória informação existente na web. Há já formação nesse sentido (já fiz uma) em que a perpstiva apontada é que os professores devem ser também "curadores" da informação, à semelhança do que acontece com os especialistas que organizam exposições de obras de arte. 

  • Mónica Velosa há 1042 dias

    Boa tarde,

    Lembro-me de falar muito da Web 2.0 e na evolução da web desde o seu inicio web 1.0 (a chegada da internet que servia para informar e trocar informação, mas somente de forma estática) até à chegada da Web 2.0 (a era social onde existe uma maneira de personalização das paginas, da colocação de informação por parte de qualquer um, etc). Depois nasceu a web 3.0, a internet inteligente, que vem de forma inteligente oferecer aos seus utilizadores informação seletiva, de acordo com a utilização que o utilizador dá à internet. Exemplo disso é o gmail que na publicidade coloca de acordo com os conteúdos do nosso email ou até mesmo de pesquisas feitas no motor de pesquisa da google.

    Mas então para onde vai caminhar a web? será que o futuro será tornar esta mais inteligente ainda? Tão inteligente que será capaz de separar a boa informação da má, mostrando apenas a informação chave do que se quer ver?

    Eu penso que sim, que o futuro passara por isto.

    Mónica velosa