Exposição constante às mídias estão nos deixando mais distraídos

Subtítulo de uma matéria na revista eletrônica Época:

Um grupo cada vez maior de pesquisadores acha que estamos nos tornando mais distraídos – e mais burros – por causa do uso excessivo dos aparelhos digitais.

O escritor americano Nicholas Carr: "a exposição constante às mídias digitais está mudando, para pior, a forma como pensamos". Ele e um punhado de autores respeitáveis acreditam que, por causa do uso
excessivo de computadores e de outros aparelhos digitais, nosso cérebro é alterado e estamos nos tornando menos inteligentes, mais superficiais e imensamente distraídos – o inverso de tudo aquilo que fez de nós a espécie mais bem-sucedida do planeta Terra.

“Em vez de mentes juvenis inquietas e repletas de conhecimento, o que vemos nas escolas é uma cultura anti-intelectual e consumista, mergulhada em infantilidades e alheia à realidade adulta”, afirma
Mark Bauerlein, autor de The dumbest generation (A geração mais estúpida).
Revista eletrônica Época 

Para o engenheiro Edison Antônio Oliveira acredita que existe também uma preguiça mental. Para Oliveira, essa característica fica mais evidentes nos jovens. “Vejo com certeza um prejuízo ao raciocínio. O nível de compreensão tem sido afetado pelos aparelhos. Eles (jovens) recebem tudo pré-pronto e não aprendem mais a raciocinar, o poder de dedução tem piorado, muito mais do que a própria memória em si”, diz.
A psicóloga Mônica Vidal não acredita que a tecnologia ‘emburreça’ ou nos deixe acomodados, mas nem por isso deve ser venerada ou condenada.
Jornal O Tempo

 

Comentários

  • Emilia há 897 dias

    Olá Marta

    Acredito que não podemos generalizar estes depoimentos.Acredito também que a inernet não tem o mesmo efeito em todas as pessoas. Afinal estamos neste curso de competências cujo objetivo é refletir, debater  e construir. Você tem lido tanto quanto eu muitos artigos ,  estamos caminhando e teremos grande sucesso ao final #ecoimoocbrt1