AMBIENTES PESSOAIS DE APRENDIZAGEM EM HIPERESPAÇOS DE APRENDIZAGEM

http://pt.slideshare.net/bidarra/ambientes-pessoais-de-aprendizagem-online?qid=cb7ff78c-8400-4c6d-acfc-f3f99350331e&v=qf1&b=&from_search=6

Ambientes Pessoais de Aprendizagem Online

1. Ambientes pessoais de aprendizagem nos hiperespaços de aprendizagem
LEaD2010
José Bidarra, 2010

2.Tópicos

Objectivos (investigação)
Importância do contexto actual
PLE (Personal Learning Environment)
Modalidades de aprendizagem
Desafios para o futuro
Conclusões

3. Objectivos

Acompanhar os estudantes no contexto de uma sociedade, interligada em rede, em interacção constante, rápida nas decisões, globalmente informada e baseada na integração de vários media digitais.

Desenvolver modelos de aprendizagem para o século XXI, que podem incluir redes sociais e ambientes virtuais, interligando diversos recursos e media digitais (essencialmente no ensino online passou a haver “proximidade” onde havia “distância”)

4. Contexto presencial…

5. Contexto virtual…

6. Novos hiperespaços…

7. Novos media…

8. Conceito de PLE

Personal Learning Environment (PLE) é um ambiente de aprendizagem pessoal constituído por várias componentes operacionais que se constituem como recursos de aprendizagem adequados às competências a adquirir por cada estudante.

Cada estudante é detentor de um perfil de aprendizagem individual, ou seja, prefere uma abordagem pedagógica específica num determinado contexto, o que implica o uso de PLEs que o próprio estudante pode configurar e controlar para efeitos da sua aprendizagem

9. Exemplo de PLE

Firefox e extensões

Google Docs

Delicio-us

Facebook

Twitter

Skype

Picasa

Flickr

Paint Net

Audacity

10. Mobilidade e acesso

Redes sem fios

PDAs e Smartphones

Partilha de recursos

Ambientes imersivos

Aplicações na nuvem

Virtualização

Portabilidade

Redes sociais

Software livre

OER

11. Historial do MCEM

-Progressão metodológica do MCEM:
Presencial (com apoio online; nos anos 90)
Construtivista (em grupos online; a partir de 2000)
Integrada (fazendo a ponte com os novos media).

-A plataforma MOODLE serve de base.
-O modelo pedagógico defende a flexibilidade, a autonomia, a interacção e a colaboração.
-Surgem as primeiras experiências com novos media (blogs, wikis, podcasts, screencasts, social bookmarking, Slideshare, Voicethread, Facebook, Twitter, SecondLife)

12. Modalidades de aprendizagem

13. Unidade curricular

14. Roteiro de Conteúdos

15. Módulos temáticos

16. Mapeamento de conceitos

17. Facebook

18. Recursos

19. Discussão

20. Twitter

22. Canal de Notícias

23. Desafios

24. O Futuro

25. Colaborações e Orientações

26. Aplicações Educacionais

27. Aprendizagem com Jogos

28. Conclusões

-Verifica-se maior investimento nos PLE do que no Moodle por parte dos alunos (pesquisa, edição de texto, mapas conceituais, criação e edição de materiais online, comunicação e colaboração)
-A responsabilidade dos estudantes é maior em termos da independência na aprendizagem e do cumprimento de objectivos pedagógicos.
-A responsabilidade das instituições e professores é maior no que respeita a definir o contexto certo para as aprendizagens ocorrerem

29. Agradecimento

38. José Bidarra, 2010
fim