Inovação Conservadora

http://www.pucrs.br/famat/viali/doutorado/ptic/textos/articles-106213_archivo.pdf

Para Cysneiros (1999), não basta proporcionar aos professores cursos intensivos em Novas Tecnologias ou dotar as escolas com tecnologias. Este autor refere-se a “inovação conservadora” quando

"(…) uma ferramenta cara é utilizada para realizar tarefas que poderiam ser feitas, de modo

satisfatório, por equipamentos mais simples (…). São aplicações de tecnologia que não exploram os recursos únicos da ferramenta e não mexem qualitativamente com a rotina da escola, do professor ou do aluno, aparentando mudanças substantivas, quando na realidade apenas mudam-se aparências”.

As profundas mudanças que demarcam a passagem da Sociedade de Informação para a Sociedade do Conhecimento exigem mudanças. Essas mudanças implicam a passagem de uma educação instrucionista para uma educação construcionista, que acabará por influenciar a escola como um todo, desde a organização da sala de aula, do papel do professor e dos alunos e a relação com o conhecimento.

Cysneiros, P. (1999). Novas Tecnologias na sala de aula: melhoria do ensino ou inovação
conservadora? Informática Educativa – UNANDES – LIDIE, vol. 12, N.º 1, 11-24. Disponível
em http://www.pucrs.br/famat/viali/doutorado/ptic/textos/articles-106213_archivo.pdf