Artefacto2 As TIC e os Direitos Humanos

Introdução:

A Educação para a Cidadania Democrática e  a Educação para os Direitos Humanos foi uma recomendação da Carta do Conselho da Europa (2010) que indicava "um meio de combater o aumento da violência, do racismo,do extremismo, da xenofobia, da discriminação e da intolerância". Em 2001 pensava-se assim, e foram criadas as Áreas Curriculares Não Disciplinares, abrindo espaços dedicados à Formação Cívica (bem como à Área de Projeto e ao Estudo Acompanhado). Atualmente, apenas o 1º ciclo de ensino básico continua a promover estas metas, sendo a Formação Cívica uma Oferta Complementar para o 2º e 3º ciclos.

Não basta dominar as novas tecnologias e as ferramentas que elas nos proporcionam. É necessário que elas estejam ao serviço da paz, do respeito pelo outro, da solidariedade e para o exercício de uma cidadania ativa plena.

a) Noções/Conceitos

Cidadania Ativa - Qualidade do cidadão que age, participa livremente  em prol  de causas, princípios e valores em  que acredita .

Direitos Humanos - É o conjunto de normas jurídicas adotadas por Estados no âmbito de organizações internacionais como a ONU, o Conselho da Europa, União Africana, Organização dos Estados Americanos...

Discriminação Racial -Ato de separar/dividir/subjugar o outro, com base numa suposta superioridade da raça  a que pertence.

Escravatura /Escravidão- É a prática social em que um ser humano assume direitos de propriedade sobre outro designado escravo, ao qual é imposta tal condição por meio da força.

b) Objetivos da aprendizagem

* Sensibilizar os alunos pela existência no mundo atual de práticas "a priori" consideradas históricas ou mesmo inexistentes.

* Alertar os discentes sobre os perigos da utilização da Internet e das redes sociais.

* Elaboração/Enumeração de um texto sobre:

 - A Declaração Universal dos Direitos do Homem;

 - Os Direitos da Criança;

 - Os Direitos das Minorias.

c) Ferramentas tecnológicas mobilizadas

Pesquisar no Google os temas relacionados com os direitos do homem e do cidadão.

Consulta dos sites da Amnistia Internacional, da Oikos, do Observatório do Tráfico de Seres Humanos, da Wikipédia e Infopédia.

Os trabalhos deverão ser publicados no site da escola e/ou partilhados com outras escolas que trabalharam o mesmo tema. Tratando-se de turmas do 2º ciclo e atendendo aos conhecimentos referentes à utilização das Tic, é uma maneira de incentivar e familiarizar os alunos com as novas ferramentas tecnológicas disponíveis nas escolas. Infelizmente, esta Oferta Educativa (TIC) não abrange todos os estabelecimentos de ensino, o que constitui uma lacuna grave por parte do ME. Em jeito de "brainstorming", os discentes assistiram uma palestra subordinada ao tema "Tráfico... em colaboração com um membro da Amnistia Internacional, que na sua aprentação fez-se acompanhar dum dispositivo em powerpoint muito elucidativo sobre o assunto em causa. O envolvimento de uma entidade extra-escola pode ser um exemplo de uma aprendizagem colaborativa e que também contribui para o exercício de uma cidadania ativa.

d) Três argumentos justificativos que implica a aprendizagem colaborativa.

+ Será elaborado um trabalho de grupo (4/5) alunos, o que implica uma divisão de tarefas ( quem pesquisa, quem redige, a seleção feita por todos, quem apresenta o produto final aos colegas dos outros grupos.

+ Debate entre todos os grupos sobre a importância e pertinência do tema (registar os argumentos mais convincentes).

+ Elaboração de uma "notícia", com a orientação do professor de Português e respetiva publicação numa plataforma a escolher ( Moodle da escola, Padlet ou blogs relacionados com direitos humanos). Nesta atividade, deve-se ter em conta as orientações sugeridas no manual interativo que já se encontra disponível em muitas editoras e adotadas em muitos estabelecimentos de ensino. O professor de História dará a sua contribuição com ilustrações e videos sobre o mesmo tema.

REFERÊNCIAS:

www.aiportugal.pt/

www.oikos.org/
http://.dge.mec.pt/educacaocidadania/index.php?

Wikipédia

Infopédia

NOTA: DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DO HOMEM  (10 de dezembro de 1948)

Artigo 1º - Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.

Artigo 4º - Ninguém será mantido em escravatura ou em servidão; a escravatura e o trato dos escravos, sob todas as formas, são proibidos.

Artigo 5º - Ninguém será submetido a tortura nem a penas ou tratamentos cruéis, desumanos ou degradantes.

Artigo 9º - Ninguém pode ser arbitrariamente preso, detido ou exilado.

Artigo 14º - Toda a pessoa sujeita a perseguição tem o direito de procurar e de beneficiar de asilo em outros países.